Dicas de saúde

Como proteger a pele contra a exposição solar?

1. O que é fotoproteção?

A fotoproteção pode ser entendida como um conjunto de medidas direcionadas a reduzir a exposição ao sol e assim prevenir seus danos. Entre os efeitos negativos da exposição solar acima do recomendável estão o envelhecimento precoce (manchas, ressecamento da pele e surgimento de rugas), influência no estado imunológico e, principalmente, o desenvolvimento de cânceres da pele.


2. Quais os tipos de fotoprotetores?

Os fotoprotetores podem ser tópicos, orais e mecânicos (roupas, acessórios, vidros e coberturas). Os fotoprotetores tópicos (também conhecidos como protetores solares ou filtros solares) devem proteger contra a radiação ultravioleta, incluindo raios UVA e UVB. Estes raios são responsáveis pelos efeitos negativos da exposição solar descritos acima. Os protetores solares são recomendados a partir dos 6 meses de vida, independente da coloração da pele.  A Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta o fator de proteção solar (FPS) mínimo de 30, não recomendando exposição ao sol no período entre 10 e 15 horas.

Os fotoprotetores orais são pílulas contendo substâncias que combatem os efeitos da luz solar na pele.


3. A fotoproteção oral substitui os fotoprotetores tópicos?

Não, os fotoprotetores orais não tem a capacidade de impedir a penetração da radiação na pele, atuando como coadjuvantes no processo de fotoproteção. A recomendação de uso desses produtos deve ser feita pelo dermatologista de acordo com as necessidades e características do paciente. 


4. Qual a maneira correta de uso dos protetores solares?

Devem ser aplicados 15 minutos antes da exposição solar e reaplicados a cada 2 horas. Mesmo com a prescrição de produtos resistentes à água, deve se reaplicar após longos períodos de imersão.   A quantidade recomendada é de 2 mg/cm2. Uma das estratégias recomendadas é o uso da “Regra da colher de chá”, na qual consideramos a aplicação de 1 colher de chá para cabeça, 1 colher de chá para cada um dos braços, 2 colheres de chá para o tronco e 2 colheres de chá para cada uma das pernas.


5. Os fotoprotetores levam a deficiência de vitamina D?

Em um país como o Brasil, poucos minutos de exposição solar somente de mãos e face, qualquer que seja o clima, são suficientes para a produção de vitamina D. Portanto o Consenso Brasileiro de Fotoproteção não indica a exposição solar como fonte de produção de vitamina D ou para prevenção de sua deficiência. Devemos ter maior preocupação com os riscos relacionados à exposição solar do que com riscos relacionados à sua não exposição.


6. Qual o melhor protetor solar?

Cabe ao dermatologista a seleção do fotoprotetor mais adequado para cada paciente, orientando sobre o uso correto e alertando sobre os riscos do dano solar. 


Para maiores informações, consulte um dermatologista!


Referência bibliográfica

Consenso Brasileiro de Fotoproteção (Anais Brasileiros de Dermatologia, 2014).

Autor